casabaixu.jpg

História

Caraíva pode ser um bom começo se estiver buscando um contato com os primórdios históricos do Brasil.

Localizada no sul da Bahia, mais especificamente na Costa do Descobrimento, Caraíva é considerada pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional) o vilarejo mais antigo do Brasil, com informações que datam a chegada dos portugueses por volta de 1530.

A vila está próxima ao Monte Pascoal que deu origem a famosa frase “terra à vista!” e a praia de Santa Cruz de Cabrália, local da chegada da embarcação de Pedro Álvares Cabral.

Banhada pelas águas do Oceano Atlântico, pelo Rio Caraíva e cercada pelo Parque Nacional do Monte pascoal, a região se tornou historicamente conhecida pela pesca e pela extração de madeira, principalmente do Pau-Brasil.

A presença indígena é uma realidade histórica e que até hoje prevalece na região. Divididos em uma série de aldeias no entorno de Caraíva, os índios pataxós ainda marcam presença no vilarejo com seu artesanato em madeiras, colares e pinturas.

A arquitetura de Caraíva segue sendo preservada, tendo suas casinhas sido “tombadas” para manutenção do seu valor histórico. 

Atualidade

Apesar de Caraíva ter se tornado um ponto de referência no turismo da região, o vilarejo fez questão de manter a serenidade de tempos de outrora.

Com suas ruas todas de areia, inacessível aos carros e aos sinais de celular, Caraíva consegue “desplugar” seus visitantes da realidade moderna e mantê-los em paz e harmonia com a natureza e a cultura local.

A chegada já é marcante: os automóveis permanecem do outro lado do rio, enquanto canoas atravessam os turistas para o vilarejo.

Mas nem por isso Caraíva deixa a desejar nas suas possibilidades de lazer e comércio.

Passeios de barco ou descida do rio de bóia, a cavalo, de bicicleta ou mesmo a pé, visitas as aldeias da região e as belas praias próximas como Espelho e Ponta do Corumbau.

Já na vila, diversos restaurantes a beira rio ou beira-mar servem de comidas típicas a outras culinárias que hoje se fazem presentes no vilarejo. Ao longo das noites o Forró ao vivo da o tom do agito e do encontro dos locais e viajantes.

Com certeza um lugar único, onde a história do Brasil permanece sem deixar de fornecer aos seus visitantes o devido conforto e hospitalidade.

Turismo

Caraíva alterna entre a alta e baixa temporada. No período de dezembro até o carnaval a vila é repleta de jovens de diferentes locais do Brasil e do globo que vem curtir as festividades de final de ano, o forró e o verão baiano.

Já ao longo do ano casais e famílias aproveitam o sossego local para repor suas energias, desligar a cabeça e aproveitar um tempo com os seus próximos.

São famosas no local as festas de São Sebastião (20 de janeiro) e o Dia do Índio (19 de abril).

Muito conhecido também em Caraíva é a chegada da Lua Cheia, que nasce no mar, e o estrelado céu que prevalece com pouquíssima interferência de luzes.

Proteção

Parte da boa preservação de Caraíva, além do fato de ser circundada por um rio, mar e pela reserva indígena, se deve ao fato de pertencer a diversos meios de proteção histórica e ambiental.

- UNESCO – Patrimônio da Humanidade
- APA – Área de Proteção ambiental
- RESEX – Reserva Extrativista Marinha
- IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico
- Parque Nacional e Histórico do Monte Pascoal

Alem disso, a população local tem grande preocupação com a preservação ambiental, histórica e cultural, sempre exigindo das autoridades competentes o devido tratamento.

Na chegada da luz, que ocorreu apenas em 2007, ficou estabelecido que a mesma seria feita sem fiação externa e sem iluminação de postes nas ruas.

Também existe um trabalho muito grande de conscientização do lixo.